• Sebastian Bieberle

Como a Schöpf se alinha aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015, composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030.

Eles são um plano de ação global para eliminar a pobreza extrema e a fome, oferecer educação de qualidade ao longo da vida para todos, proteger o planeta e promover sociedades pacíficas e inclusivas até 2030.


Confira todos os 17 objetivos em mais detalhes no site da ONU >>>


Hoje quero esmiuçar em detalhes em quais ODS nós da Schöpf nos encaixamos e como trabalhamos para contribuir com estas metas.

É importante notar que cada objetivo possui sub-categorias e que é impossível se alinhar a todos de forma consistente, por isso, separamos aqueles sobre os quais trabalhamos ativamente.


Objetivo 9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.


9.1 Desenvolver infraestrutura de qualidade, confiável, sustentável e resiliente, incluindo infraestrutura regional e transfronteiriça, para apoiar o desenvolvimento econômico e o bem-estar humano, com foco no acesso equitativo e a preços acessíveis para todos

9.2 Promover a industrialização inclusiva e sustentável e, até 2030, aumentar significativamente a participação da indústria no setor de emprego e no PIB, de acordo com as circunstâncias nacionais, e dobrar sua participação nos países menos desenvolvidos.


Como agimos >>>

Trabalhamos para continuamente aumentar a nossa produção, buscando sempre a inovação e resiliência. Estamos constantemente pensando e repensando nossos processos de produção. Nosso plano de crescimento prevê uma participação cada vez maior na indústria, contratando de forma ativa (com salários acima da média nacional) e nunca deixando de crescer de forma sustentável e responsável para com o meio ambiente.



Objetivo 11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.


11.4 Fortalecer esforços para proteger e salvaguardar o patrimônio cultural e natural do mundo.

11.6 Até 2030, reduzir o impacto ambiental negativo per capita das cidades, inclusive prestando especial atenção à qualidade do ar, gestão de resíduos municipais e outros.


Como agimos >>>

O simples fato de coletarmos resíduos de papel na cidade do Rio de Janeiro já contribui ativamente para este objetivo. Nos esforçamos para mitigar os impactos ambientais causados pelo uso destes resíduos ao plantar 1 árvore a cada 10kg coletados.

As parcerias com artistas independentes ajuda a salvaguardar o patrimônio cultural.



Objetivo 12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.


12.2 Até 2030, alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais.

12.4 Até 2020, alcançar o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes, de acordo com os marcos internacionais acordados, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar, água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente.

12.5 Até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso.

12.6 Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios.

12.8 Até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham informação relevante e conscientização para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza.


Como agimos >>>

Aqui também o core business da empresa já contribui ao reinserir resíduos de volta a cadeia de consumo. Nosso serviço de logística reversa dos nossos produtos também contribui para tal. Atendemos a diversas empresas de porte grande e pequeno, incentivando o descarte correto de seus resíduos. Parcerias como a que temos com a Teiares, catadores e cooperativas fortalecem igualmente no incentivo às empresas geradoras de resíduos.

Trabalhamos ativamente na Educação Ambiental, com aulas e oficinas sobre reciclagem e sustentabilidade em escolas públicas e privadas, eventos e espaços como o SESC, garantindo assim a difusão de informações e conhecimentos relevantes a conscientização acerca dos problemas ambientais.



Objetivo 13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.


13.3 Melhorar a educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce da mudança do clima.

13.b Promover mecanismos para a criação de capacidades para o planejamento relacionado à mudança do clima e à gestão eficaz, nos países menos desenvolvidos, inclusive com foco em mulheres, jovens, comunidades locais e marginalizadas.


Como agimos >>>

Como mencionado acima, trabalhamos ativamente na difusão de conhecimento e educação ambiental para jovens, adultos e idosos. Estamos baseados no tripé social-ambiental-econômico e todo o nosso propósito revolve em retorno da reciclagem e educação, agimos diariamente em cima destes obejtivos.



Nós nos esforçamos para contribuir com estes importantes objetivos, porém precisamos que todas as empresas ajam para juntos criarmos uma grande onda de transformação dos sistemas de produção e consumo. Em especial as grandes empresas

e multinacionais devem urgentemente começar a mudar seus modelos de negócio. Muitas pequenas empresas têm surgido com o propósito de impactar de forma positiva, seja no âmbito ambiental ou social. É possível virarmos este jogo, mas precisamos pressionar as gigantes e conglomerados como Coca Cola, Pepsico, Unilever e Nestlé a oferecer soluções para o problema ambiental, afinal são elas que produzem o lixo. Elas precisam parar de jogar a responsabilidade do descarte sobre o consumidor, além disso, é imperativo que parem com as estratégias criminosas de greenwashing que enganam o público a comprar produtos verdes. Há décadas ouvimos destas empresas que o problema é de conhecimento deles e que estão agindo e investindo em soluções mas até o momento suas produções só crescem, enquanto as "soluções" propostas não passam de conceitos e projetos.

Precisamos também pressionar governos a trabalharem com uma agenda a longo prazo, que favoreça um crescimento sustentável, com legislações que protejam os recursos naturais e incentivem o uso de energias limpas; a implementar um plano nacional de educação ambiental; a financiar a pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e materiais, enfim, as soluções existem, falta só a vontade dos grandes tomadores de decisão implementar estas soluções.





14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo